quinta-feira, dezembro 16, 2010

Tecnologia - O Computador Grego

Eu assisti este vídeo ontem, a partir do Blog do Tas (http://blogdotas.terra.com.br), que é excelente e recomendo a todos. Mas eu gostei tanto do vídeo, e ele me fez pensar em muitas coisas, então decidi fazer um post próprio aqui..

O que vocês verão é um "computador", criado pelos gregos no ano 100 a.C., para prever eclipses e outros eventos astronômicos. Os equipamento foi encontrado por mergulhadores, e preservado durante muitos anos. Quando surgiram as tecnologias de Rx e tomografia, foi possível analisar o "fóssil", e a partir disto, reconstruíram a máquina... de LEGO!

Vejam o vídeo:



É incrível.

Depois, fiquei pensando, como numa época tão distante, sem qualquer coisa semelhante à nossa tecnologia atual, os cientistas gregos criaram uma máquina tão perfeita, precisa. Imaginem as fórmulas matemáticas necessárias, os ANOS de observação dos astros e estrelas no céu. Hoje em dia, temos acesso à tudo, o tempo todo, mas no fim do dia, aproveitamos pouco.

Não quero que ninguém dedique-se à aprender uma ciência partindo da observação, mas fico com a impressão de que aproveitamos pouco a abundância de conhecimento à que temos acesso. Eu mesmo, tenho como acessar o portal do Capes, e partir daí, quase todos os artigos médicos que eu quiser. Só da minha especialidade, acompanho regularmente (por e-mail) 8 à 10 revistas. Algumas chegam a ter mais de 50 artigos por edição, podendo ser mensal ou trimestral. Calculem agora...

Portanto, ao invés de tentar ler TUDO, saber TUDO conhecer TUDO, superficialmente, vamos tentar apreciar as minúcias de uma coisa de cada vez. Seus mecanismos e engrenagens, suas fórmulas secretas. Só assim poderemos construir um equivalente do Antikythera, que fique "fossilizado" para sempre.

5 comentários:

Thomas disse...

cara é tão foda que eu nao entendi.

Rodrigo Castelan Carlson disse...

Queres ficar com inveja? Eu já vi ele de perto em Atenas.

Kétlin Sartor Ristau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kétlin Sartor Ristau disse...

Reitero aquilo que já havia falado: eles tinham tempo! Os escravos trabalhavam e eles se dedicavam a arte, ciência, filosofia e afins. Hoje o número de informações é absurdo e nós lemos, lemos e lemos, mas não pensamos.
Ah, e outra coisa, eles eram dotados de calma e paciência para observar e analisar. Calma e paciência definitivamente não prevalecem no séc XXI

Raulzito2112 disse...

Impressionante, no mínimo. o0